Artigo – A democratização do esporte

Hoje teremos uma seção especial, uniremos a seção “Artigo da semana” com a “Ponto de Vista”, com um texto enviado exclusivamente para nós pelo mestre João Batista Freire. Freire é um profissional da Educação Física referência nacional, e possuí várias e excelentes obras, entre elas Educação de corpo inteiro, Educação como prática corporal, De corpo e alma, O jogo: entre o riso e o choro, etc. Freire achou um tempinho dentre os seus trabalhos para enviar uma interessante reflexão. Boa leitura!

A democratização do esporte

João Batista Freire

As crianças sonham ser atletas campeãs, como podem sonhar ser cantoras, médicas, e assim por diante. São fantasias, e nós não devemos estragá-las. Que sonhem, que exercitem a imaginação. Se não virarem atletas de alto nível, pelo menos tiveram a oportunidade de ter uma imaginação mais rica.

Também os pais sonham para seus filhos grandes glórias. Muitos projetam neles aquilo que gostariam de ter sido. Outros projetos futuros brilhantes porque acreditam saber o que é melhor para os filhos.

O que nós, profissionais da área de Educação Física, devemos fazer diante disso? Ora, em hipótese alguma estragar os sonhos de crianças ou de seus pais. Porém, quem ensina o esporte somos nós, que devemos ter a dose certa de realismo para tratar dessa questão. Sabemos que raros serão aqueles que, um dia, chegarão ao alto do pódio. A esmagadora maioria será como todos nós, cidadãos comuns, que abraçarão profissões as mais diversas, que terão famílias, saúde e doenças e que correrão atrás da felicidade, cada qual a seu modo.

Quando recebemos nossas crianças para ensinar-lhes esporte, que a referência nunca seja o melhor de todos, nunca seja o campeão, mas a pessoa comum. Essa atitude é inclusiva, ao passo que, quando temos como referência o grande campeão, excluímos todos aqueles que, porventura, não apresentarem habilidades especiais. O esporte tem que ser para todos, tem que ser educacional, deve visar objetivos além do esporte. Acima de tudo, o esporte deve educar as crianças para que possam viver uma vida de criança e, futuramente, adulta, com dignidade, com ética. Se ensinarmos bem a todos os nossos alunos, aqueles que não tiverem talentos especiais poderão aprendê-lo para viver melhor; os que apresentarem talentos especiais seguirão no esporte e poderão chegar, quem sabe, ao nível mais alto do rendimento esportivo.

O procedimento de selecionar crianças e adolescentes, admitindo somente os que julgamos bem dotados é injusto e acaba por criar multidões de pessoas que se afastam do esporte. E pior, entre elas haverá as que não pretenderão, em hipótese alguma, ajudá-lo. Essas pessoas poderão, um dia, estar colocadas em postos decisivos na sociedade, determinando ou não verbas e benefícios para as práticas esportivas.

Nosso país precisa, mais que selecionar campeões, educar esportivamente sua população. Esporte é um direito de todos, uma questão de democracia.

Anúncios

Sobre advjaragua

A Associação Desportiva Voleibol é o clube responsável pela administração e organização do voleibol da cidade de Jaraguá do Sul, Santa Catarina.
Esse post foi publicado em Artigos, Ponto de Vista. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s